Folha Branca


Poeta do Escuro

Eu sou o poeta do escuro

Perco toda poesia

Se a luz é acesa

Ironia do destino

É no claro que não tenho clareza

 

A noite

A criação me incomoda

As muitas idéias não me deixam repousar

Estão todas ao estender de uma mão

Basta esticá-la e pegar!

 

Sou o poeta do escuro

Mas não do murmúrio

Poeta do escuro

Imaginando tudo quanto não posso ver...

Se a luz está acesa

Toda a minha imaginação se cala

E tudo volta a apenas... “ser”!

 

Não sou das trevas...

Não sou rei de nada

Não sou bom; nem ruim...

Não me vejo em cima do muro

Prefiro apenas o escuro

Pois é nele que intensamente brilho

e nada me atrapalha

É pelo escuro meu trilho

Nele, minha poesia não falha!

 

E poesia é vida...

É a poesia que faz do poema forte

Sem vocação nenhuma sou todo artista

Se me tirarem a poesia – já que esta é vida

E tudo o que em mim não é vida... sobro morte!

 

 



Escrito por Messias Vilela às 10:17:59 PM
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]


Abajur

 

No quarto escuro acendo a luz do abajur

E o celebro: Luz pra vida!

E o bajulo... Luz intensa...

Eu o vejo, mas ele não vê a mim

Não há luz sobre meu rosto

 

Só hoje descobri que essa sua luz intensa

Às vezes, só me cega!

Não quero o quarto sem abajur

no entanto

Não quero escuridão por completo

contudo

Preciso da sua luz e do seu  encanto

Mas preciso iluminar sobretudo

 

Não te descarto

Não descarto teu charme e teu romantismo

Apenas precisamos nos ajustar

Quero poder olhar pra você

Admirar sua forma,

Ter a ciência do espaço importante que ocupa

Saber que se precisando

 posso me orientar pelo teu centro

Notar que a luz que vejo forte por fora

É ainda bem mais forte dentro!

 

E não ter prejudicada  a visão

E passar às cegas toda minha mocidade

A melhor forma de fazer com que me veja

Sem diminuir a tua intensidade:

- Perceba o ponto de vista que parto -  

A melhor forma de olhar sua luz

É acendendo também a do quarto!



Escrito por Messias Vilela às 11:50:01 AM
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]


Lição

os mortos descansam em paz

 

 

quem descansam em paz?

os mortos!

sujeito é aquele que pratica a ação

ainda que esteja morto!



Escrito por Messias Vilela às 10:29:31 PM
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]


Vida de planta

A planta cresce e a nada obedece

 

E a nada desobedece

A planta cresce

E a nada conhece

E a nada desconhece

A planta encanta

E em troca

Nada merece

E nem desmerece

Planta até canta

E por fim, envelhece!

 



Escrito por Messias Vilela às 10:27:45 PM
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]


Vendendo Deus

Venham todos banhar-se na fé

E conhecerem o sobrenatural

Não importa se é branco

Alto, pequeno

Mulato, loiro, moreno

Dinheiro é tudo igual!

 

Estou com medo

Nesse mundo de aflitos

Estão vendendo Deus!

Corações sob conflitos

Bolso cheio, coração vazio, homens ateus!

Dinheiro... a Deus (adeus)

 

Me veja um quilo de Aleluia

Trezentos gramas de Amém

Duas fatias de Graças a Deus

Troco casa mobilhada

Pelos pecados meus!

Carro semi-novo também

 

Deus é tão grande...

Tão grande...

Que o vendem todos os dias

E ele nunca acaba

O dia que o pararem de vendê-lo

Estarão bem mais próximos de conhecê-lo!

 

 



Escrito por Messias Vilela às 10:24:45 PM
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]


[ página principal ] [ ver mensagens anteriores ]
 
Meu perfil


BRASIL, Sudeste, POCOS DE CALDAS, Homem, de 20 a 25 anos, Portuguese, English, Livros, Música, Esportes rs
MSN - messiasmaluco@hotmail.com



Meu humor



Histórico


    Votação
    Dê uma nota para
    meu blog



    Outros sites
     Debaixo da Porta
     CBJE
     Santório Municipal
     Blog do Juca
     Chá de Tharantulas